sábado, 29 de janeiro de 2011

A Casa

Cláudia Reis Arteterapia e Cursos: A IMPORTÂNCIA DE UM CURSO DE ARTES PARA CRIANÇAS

Cláudia Reis Arteterapia e Cursos: A IMPORTÂNCIA DE UM CURSO DE ARTES PARA CRIANÇAS: "É muito importante para o ser humano, principalmente em sua fase inicial da vida, onde sua personalidade está sendo formada, que ele possa..."

“O Capitão AVAPE contra o Fantasma Autismo”

Este manual foi elaborado pelo
Grupo de Saúde Mental da AVAPE
(Associação para Valorização de Pessoas
com Deficiência), em parceria com o
Projeto Distúrbios do Desenvolvimento
do Instituto de Psicologia da USP, com
o objetivo de informar e esclarecer as
pessoas sobre o autismo.
O autismo, para fins diagnósticos, é
encontrado no DSM IV-TR e na CID 10,
dentro da classificação dos Transtornos
Invasivos do Desenvolvimento.
O conceito mais utilizada desde 2001
é “continuum autistico”, sendo também
evidenciado como transtorno do espectro
autista. Contudo, clinicamente, para pais
e cuidadores, a linguagem coloquial de
fácil entendimento usualmente utilizada
é Autismo.
Por meio de uma linguagem simples
e acessível, o Manual expõe as principais
características de diagnóstico do autismo,
que podem ser observadas pelos pais e
cuidadores desde a primeira infância.
Este volume abordará o que é o Autismo
e como evidenciá-lo precocemente. E no
próximo episódio, confira: “O Capitão
AVAPE contra o Fantasma Autismo - Parte
2: o combate”.
Boa leitura,
Grupo de Saúde Mental da AVAPE
Era uma vez...
Uma família muito unida e amorosa.
Todos estavam radiantes com a chegada de mais um filho.
Mas, quando nasceu, ou até os 36 meses de idade,
o menino recebeu a visita de um terrível fantasma,
que o brindou com três grandes dificuldades. Elas o
acompanhariam por toda a vida: – “Você terá problemas
para se relacionar com outras pessoas”. “Terá dificuldades
para se comunicar e terá atitudes esquisitas”.
Era tanta dedicação e amor, que seus pais nada perceberam. Até que...
Leia mais em:
Uma postagem de:
(Visitem,excelente blog-Caminhos do Autismo)

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Voluntários SOS Serra

A arte de conhecer a si mesmo

Rituais de cura

Desenhos são símbolos. E ao longo da história, em todas as culturas, muitas manifestações artísticas - dança, música, esculturas, pinturas corporais ou na areia etc. - têm sido usadas pelo homem em seus rituais de cura. A explicação para isso é que todas essas atividades possibilitam a decodificação das sensações.

Em uma sessão de Arteterapia, esse ritual se repete. A criação acontece de forma espontânea, sem preocupação com padrões estéticos. Entre os instrumentos utilizados estão pintura, colagem, modelagem, fotografia, tecelagem, expressão corporal, teatro, sons, músicas ou criação de personagens. Os resultados são muitos, rápidos e profundos, pois a arte possibilita a cura por meio da expressão das emoções e da ampliação da percepção do mundo subjetivo (consciência). Observando a própria obra, o paciente tem a oportunidade de comentar o que vê e percebe, além de identificar o que pode ser reformulado em sua vida.

Valéria Gestivo, consultora de Arteterapia do departamento de Saúde Mental da Secretaria da Saúde de Palermo, e integrante do corpo docente da Arte Terapeuti Associati, com sede em Milão (Itália), fala que a arte, em si, representa "um veículo de liberação das angústias e do desconforto. Ela expressa a potencialidade e a realidade humana, mas também é um instrumento para compreender a si mesmo e até resolver algumas dificuldades".

Essas formas de se vivenciar as feridas emocionais permitem vislumbrar novas perspectivas. "A imagem em um pedaço de papel é uma mensagem de você para você mesmo. Como a arte é uma metáfora, ela proporciona a descoberta de possibilidades", afirma Selma Ciornai, psicóloga e psicoterapeuta, supervisora e coordenadora acadêmica do curso de Especialização em Arteterapia do Instituto Sedes Sapientiae, em SP.

Sob orientação

Para usufruir dos benefícios dessa terapia, não basta a prática de alguma atividade criativa. Segundo as especialistas, esse tipo de exercício é sempre relaxante e saudável, mas não significa que funcionará como Arteterapia. "Para que essa atividade cumpra seus fins, ela deve ser praticada sob o olhar cuidadoso de um profissional. É essa presença ativa do terapeuta que facilitará o processo de perceber e lidar com os próprios problemas e recursos", diz Selma.

"A proposta é trabalhar com o indivíduo de forma holística. Por isso, o que se espera dos terapeutas é que eles sejam hábeis na comunicação das palavras e das imagens", acrescenta Valéria. "No final do tratamento, o paciente deve ser capaz de ver as coisas belas que produziu como algo vindo do 'seu eu profundo', nascido dele, e com o qual poderá abrir sua própria janela para o mundo", completa.

Fonte:.http://romanegocios.com/medicina-e-saude/19206-a-arte-de-conhecer-a-si-mesmo

domingo, 23 de janeiro de 2011

ARTETERAPIA

A arteterapia, por meio das imagens, apresenta ao homem a possibilidade da compreensão entre a mente e o mundo.
Através da arte, o homem sempre buscou se comunicar, compreender, se relacionar. Por vezes, uma imagem consegue provocar reações mais intensas do que as palavras e  carrega em si mesma tantas mensagens subjacentes, que é capaz de causar emoção tanto em quem a criou como em quem a aprecia.
 Alheias a julgamentos estéticos, as imagens funcionam como mapas simbólicos rumo aos conteúdos inconscientes.
Por Henrilene Acedo


O processo de criação artística nos ajuda a reforçar nossos aspectos saudáveis. Ao criarmos, abrimos as portas de nossa sensibilidade, o que possibilita a construção de meios para a transformação pessoal. Transformação essa que caminha pelas trilhas do autoconhecimento e pela compreensão de nossas características próprias. Ao nos conhecermos, sem julgamentos ou críticas, preparamo-nos para refletir a respeito de crenças e padrões que nos acompanham e nos fazem prisioneiros, e o que podemos fazer (ou criar) para modificá-las.
Cada imagem apresenta a concepção da consciência e ao mesmo tempo a incompreensão daquilo que nos impacta, o DESCONHECIDO (inconsciente).
O desenho é uma busca de cura por que consegue trazer a luz todos os elementos dispersos conscientes ou não e também tenta junta-los.
Mesmo em casos em que a pessoa diz não saber pintar ou desenhar, o inconsciente clandestinamente revela, através da atividade desenvolvida, as imagens que jazem sob a consciência.
No curso da primeira infância, traços de forte carga afetiva se acumulam nos centros psíquicos.
Dada à dificuldade de mobilizar os afetos tão profundamente depositados e trazê-los a consciência através do instrumento verbal, a espécie humana sulcou, durante milênios, caminhos mais suaves, declives que permitissem sua expressão, como a dança, as representações mímicas, a pintura, a escultura, a música...
Proporciona, cientificamente comprovada, melhora nas condições de vida de pessoas portadoras das mais diferentes patologias clínicas, tais como: stress, depressão, Alzheimer, mal de Parkinson, AVC, síndrome do pânico, oncologias diversas, dependências químicas, hipertensão...
Atuando também em situações psicopedagogicas:
 Déficit de aprendizagem, hiperatividade, onde as intervenções são realizadas através de atividades arte terapêuticas.
A arteterapia é uma terapia democrática, capaz de desinibir até os mais resistentes, afinal de contas, é sempre muito agradável ser paciente da arte.
ATELIÊ ARTE BRASIL
Henrilene Acedo
Arteterapeuta/Psicopedagoga/Artista Plástica

Materia publicada no JP-Jornal Pioneiro- Bragança Paulista

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Dicas da arte terapeuta Raquel Soutto

Dica da arteterapeuta.Raquel Soutto do blog http://arteeterapia.blogspot.com/ (Visitem!)


Liberte sua criança interior e faça dela sua melhor amiga. Ela é responsável pelos momentos mais leves e prazeirosos da vida, se você estiver de braços dados com ela.
Para tê-la sempre ativa e feliz procure saciar desejos seus simples, como comer um doce (de vez em quando, né?), por exemplo.
Um ritual que recomendo, para libertar a criança interior, é:
- Coloque uma música que gostava de escutar quando criança;
- Coma o doce que você mais gostava de comer;
- Faça uma lista de lembranças boas da sua infância;
- Desenhe com giz de cera a sua criança interior feliz! Curta o desenho. Nada de pressa. Desenhe com gosto cada detalhe dessa criança. Preocupe-se em desenhar também o local onde ela está.

Mantenha esse desenho sempre a mostra ou em um lugar de fácil acesso para que você possa sempre acessar essa energia novamente, quando estiver triste, deprimida, sentindo-se só, ou com qualquer desconforto emocional que possa ser curado com uma boa dose de leveza e alto-astral.